Translate

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Love

Meus sorrisos , falsos como tênis fabricado na china. Ela lavou meus olhos com água do mar.
Meu coração está crivado de magoas, e a vida outra vez me deu o tombo, como diz a musica do Pearl jam:
`` Eu sei que um dia você terá uma bela vida, eu sei que um dia será uma estrela no céu de outro alguém, mas porque não pode ser no meu céu: ´´
Sinto que ainda vive dentro de min, quando lembro dos nossos planos e sonhos, sinto seu perfume em tudo oque toco, ouso sua doce voz pela ultima vez, um pouquinho de você diluído em minha alma.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Amor é tudo oque tenho para te oferecer.

Quando eramos jovens, e a poeira em nossas calças contavam uma historia
nossos cabelos ainda negros, nossos sorrisos , esperanças nos olhares, vida
amo-te não por tua fortuna mas sim por teu coração, aqueles tempos acabaram
roupas simples, casa simples, cidade pequena, família grande, fome ardida
és o de maior idade sim, mas também oque mais estendeu a mão a teu velho
longos dias de faca afiada e de carne sangrenta, menos brincadeira mais trabalho
não tens culpa pela vida ter surrado tua face, disso deve te orgulhar, mais e mais
queria eu, fruto do teu amor e suor, poder ter metade de tua força, pai querido
sei bem o quanto de teu sangue derramas por sobre os escombros para assim
dar a min uma vida mais que confortável, uma vida que nunca esquecerei
queria eu poder ter oito vidas, porque uma só não sera suficiente para quitar tudo oque devo a você e a mãe..... obrigado pelo suor de cada dia e pelas gotas de sangue derramadas. Amor é tudo oque tenho para te oferecer.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O dia em que Ralf toratto encontrou o amor.

Ela me olhou , sorrindo aprontou sua arma para minha cara.
- Ralf - ela disse.
- Quais são suas ultimas palavras baby.
- Hei Tina disse eu.
- Lave suas mãos desse sangue marrom, sua maluca.
Talvez um dia ela encontre seu amor, assim como o sol que persegue a lua, faminta ela encontra a paz nos braços de outro alguém.
- Sua maluca, você encheu minhas coisas com seu lixo.
- Ralf suas coisas estão no quintal, peço que suma de uma vez.
- Sua maluca eu não tenho para onde ir.
- Foda-se Ralf eu nunca te amei, ninguém nunca te amou, você não é normal e sorri a toda hora.
Nunca fui de implorar a uma mulher, mas Tina era diferente, me abraçava como uma mãe. Resolvi me mandar. mas antes iria tirar a única coisa que ela tinha, sua vida.
Entrei rápido ela estava no banho.
- Tina acabe logo e venha para a sala preciso te mostrar uma coisa. Parei atrás da porta com uma picareta nas mãos, assim que ela cruzou por min atravessei a picareta em dua nuca, saindo pela boca, ela caiu sobre os seios em uma bela poça de sangue.
Arranquei minhas roupas e nu, espalhei seu belo sangue sobre meu corpo, ainda tinha seu cheiro, coloquei as roupas, guardei seus lindos olhos azuis em meus bolsos e queimei se corpo, antes de partir unifiquei nosso ser em uma única alma, comendo seu coração ainda quente.
Me despedi de Tina meu grande amor, que agora jamais sairia de perto de min.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Ouro estelar

Ouro, reluzente como as estrelas, seus cabelos.
Caminhou em minha direção, um beijo breve em minha face.
Lábios, atiçados e amedrontados, um pequeno trecho de estrada.
Chegada com amigos em volta, ela reluz, ela sabe sobre meu desejo.
No meu peito, reluz o ouro de seus cabelos, agora deitada, sobre meu coração.
Lábios com lábios, hora de partir, estrada breve, morena em casa, convite negado.
Motor desligado, o frios escorre das janelas, perfume inexquecivel, semana maluca.
Tudo oque restou, um sorriso em minha boca e uma ereção em minhas calças.

sábado, 22 de março de 2014

Ultima semana da vida de Ralf Toratto .

                                                                 
 Domingo
   Ronda matinal na floresta aos pés do monte Fuji, de longe o guarda avista sapatos marrons em movimento, ao se aproximar um homem de meia idade dependurado em uma arvore balançava, em busca por objetos pessoais, achou em seu bolso esquerdo um nome em sua carteira: Ralf Toratto, naturalmente brasileiro.    Brasileiro? mas porque diabos esse homem veio ate aqui para tirar sua vida? pensa o guarda florestal enquanto corta a corda do pescoço de Ralf o deixando cair sobre os sapatos

  Segunda feira
    Tédio total nesse apartamento a vida está cada dia mais dura, o frio começou esse final de semana e me sinto confortável sobre as cobertas, um documentario me chama atenção na televisão, era um belo lugar arvores verdes silencio algumas fitas coloridas tudo parecia em paz naquele lugar, algo me chamava para lá, mas ainda não sabia oque poderia ser, adormeci.  Segunda feira, ressaca, trabalho insuportavel resolvo não aparecer, durmo ate duas horas da tarde, me levanto ainda meio grog, calço meus sapatos. A rua esta congelando tudo parece desbotado fico enjoado  mas preciso ir ao banco, chega minha vez de ser atendido a mulher me pergunta se esta tudo bem comigo, acho que sim respondo mas porque a pergunta minha senhora, bem o senhor não me parece muito bem está muito pálido e mal vestido, pois bem minha senhora a vida não tem sido muito legal comigo, mas por hora preciso checar minhas economias.De volta a meu apartamento munido de cerveja e um papel que dizia que possuía 23 mil em minha conta pessoal, tento negativamente escrever um poema e nada, me resta beber aquelas cervejas ruins e assistir um pouco de televisão, outra vez aquele documentario vinte e poucos minutos sem piscar, algo me chamava e chamava rápido, a cerveja tinha acabado.

  Terça feira
     Toca o despertador 6:45, visto meu uniforme, cafe frio manha gelada meu coração resolve abandonar meu corpo. Chegando a empresa trinta minutos de trabalho e algo em minha cabeça dizia coisas estranhas, hora do almoço decido tomar wiskey com faixa preta tudo estava ótimo agora.
    De volta a empresa agora com a cabeça no lugar, decido largar meu emprego, sem dizer nada a meus chefes fui para casa, mais um wiskey faixa preta e estou de volta a minha paz,toca a campainha era minha amiga linda alta morena tudo oque sempre sonhei, e sonhava com ela todo dia pois há amava em segredo, sim eu era um covarde.
      Bebemos um pouco algumas risadas forçadas de minha parte, ela resolve passar a noite, pedimos comida indiana e assistimos um filme, era  um belo filme um homem que abandona tudo e sai viajando pela América, ela dormiu em meus braços, sonhei com ela outra vez

 Quarta feira
     Toca o despertador 6:45, ela ainda dormia em meus braços, mas agora eu já não tinha para onde ir a não ser para dentro de min mesmo, acordei minha então amiga e ela partiu, me deixando apenas com um beijo no rosto e uma ereção. Hoje é o dia de escrever meu artigo para a revista CaseTwoHands, outra vez nenhuma ideia, resolvo escrever rapidamente...
        ‘ Caros editores da revista CaseTwoHands, venho por meio desta carta dizer lhes que não mais possuo vontade de escrever para sua maldita revista sensacionalista, por meio dessa gostarias de pedir aos senhores meus últimos pagamentos que ainda não recebi, e lhes dizer que os senhores mesmo não os conhecendo pessoalmente devem cheirar a merda cubana e fumaça de charutos baratos, obrigado por publicarem minha merda pessoal em sua revista Adeus. ´
      Da janela de meu apartamento as pessoas na rua parecem tão engajadas nesse mundo, tão acostumadas a serem roubadas e estrupadas ao vivo todos os dias, e eu sinto que não vou conseguir chegar ate o correio a tempo de enviar minha carta.
       Finalmente enviei minha carta agora compro cerveja, wiskey, e uns faixas pretas ate consegui sorrir, de volta a meu apartamento, deito em minha cama abro minha cerveja e ligo a televisão, sem surpresa dessa vez la está ele, aquele maldito documentario outra vez.                                                                                                        
  Quinta feira
       Sai tomar café da manha e comprei um bilhete de loteria que concorria a uma viajem para qualquer lugar do mundo, seria ate engraçado eu acreditar numa porcaria dessas, meu numero era o 97.
        Bingo a sorte resolveu bater a minha porta, ganhei aquele sorteio imbecil, mas não apareci no dia marcado, algumas horas depois me ligaram dizendo entregar minha passagem areá para onde eu quiser dentro de algumas horas em minha casa, apenas precisavam saber para onde eu gostaria de ire meu endereço, falei a primeira coisa que apareceu em minha mente Japão, estranhamente pensei em televisão.
    Horas depois toca o campainha e não é que era verdade, eu era o felizardo ganhador de uma viajem ao japão, é a sorte as vezes é meio maluca. Arrumei minhas malas e limpei a casa para quando eu retornasse. Acho que a vida tinha começado a ser gentil comigo enfim.

  Sexta feira
       Embarquei no avião rumo ao Japão é bem verdade eu estava sorrindo, no avião tudo parecia limpo e organizado, me senti ao lado de uma mulher de meia idade ruiva muito bonita, conversamos a viajem toda ela era muito especial, me presenteou com um livro todo escrito em japonês, na capa aparecia um monte e á seus pés uma floresta cheia de fitas coloridas, estranhamente parecida com a floresta daquele documentario.
         Chegamos por volta das 12 horas locais, agora ela tinha se oferecido para ser minha guia, tudo oque tinha que fazer era ser seu homem, enfim as coisas iam bem, arrumas um quarto tomamos um banho seu corpo era divino muito durinho para sua idade, eu estava no céu enquanto ensaboava sua bela bunda cheia de sardas.
    O jantar chegou aquelas coisas todas de japonês, comemos bebemos saque muito bom por sinal então pedi seu nome. Ela se chamava Jessie Turner e dizia amar meu jeito de brincar com seus seios, bebemos mais um pouco ela adormeceu amanha teríamos um longo dia de caminhada e compras. Eu tinha tudo uma mulher, dinheiro, não tinha emprego nem patrão e estava em um belo pais. Bebi mais um poco e adormeci segurando um mecha de seu cabelo.  

 Sábado
    Fuso horário dos diabos, acordei com uma bela ressaca e com Jessie arrancando meu pijama, tivemos uma bela tranza pela manha, enquanto eu via pela janela as pessoas indo viver suas vidas. Fomos passear e comprar algumas coisas, sou fascinado por coisas obscuras, então achei o guia do suicídio um belo livro que demonstra muitas maneiras de alguem tirar sua vida. Passeamos bastante comprei uns sapatos marrons muito bonitos e umas calças jeans baratas mas muito comfortaveis.
     Jantas alguma coisa que parecia uma sopa muito pegajosa mas ate que era apetitosa, voltamos a nossa quarto e mais uma bela tranza. Adormeci com ela beijando abaixo de meu umbigo.

 Domingo
     Acordei muito bem, leve, calmo, em paz, ate notar que estava nu sem documentos, sem dinheiro sem nada oque notei foi apenas um saco preto a meu lado, eu estava no meio de uma rua deserta não sabia como tinha chegado ali. Abri o saco e la estava meu livro sobre suicídio meus sapatos marrons e minha calça jeans, os vesti rapidamente.       Sem saber muito bem oque acontecia perambulei pelas ruas sem falar nada da linguá local nem nada e sem nenhum tostão, voltei ao hotel e me falaram que havíamos fechado a conta ontem pela noite, que estranho nada fazia sentido. Caminhei pelas ruas em busca de sei la oque, vi algumas tvs ligadas em lojas transmitindo aquele documentario outra vez, mas que diabos pensei oque esta acontecendo, como vou para casa, aonde estou?
       Enquanto caminhava vi algumas pessoas entrando em uma floresta, quando voltavam estavam felizes elas brilhavam como jóias pareciam puras pareciam anjos, resolvi seguias. um homem muito parecido comigo, com as mesmas roupas e sapatos era um tipo clone meu japonês, assim que ele me avistou parou atrás de uma pedra hesitei em olhas la, quando fui ver ela não estava la, nada nem sinal, mas que droga devo estar louco Jessie deve ter me drogado ou coisa assim.
     Sentei sobre uma pedra e comecei a refletir pensar em minha vida em tudo oque não veria mais pois não tinha como voltar para casa, eu agora era um sente to no japão. Olhei para o chão e vi um nome escrito num papel Ralf Toratto, mas que diabos meu nome faz aqui, estou louco, totalmente maluco só pode, retirei o papel da garrafa e comecei a ler....

‘ Há meus amigos e família, gostaria de ser breve em meu relato, tudo oque possuo se encontra em meu apartamento oque de fato não é muita coisa, peço que fiquem com tudo e façam oque quiserem, saibam que amei vocês por todo minha breve vida e que sempre amarei, talvez nunca mais nos vejamos mas quero que saibam que estarei a seu lado todo dia, não sei para onde vou apenas estou partindo.
   Deixo para trás uma vida que nada mais foi que desperdiçada em trabalhos inúteis e degradantes, deixou para trás o amor que nunca recebi de uma mulher a não ser de minha mãe, deixo para trás minha vida que nada mais foi que uma vida inútil, Mãe se eu me tornar um anjo e você sentir seus cabelos mexerem a noite serei eu penteando seus belos cabelos vermelhos, agora vou me ajuntar a tantos outros antes de min. Adeus a todos nos veremos em breve. Ralf Toratto.´
 Sim era minha carta de suicídio eu estava agora pendurado pelo pescoço em uma arvore da floresta do suicídio, aos pés do monte Fuji, meus sapatos marrons balançavam eu estava morto. Me dei conta disso depois que estava já fora de meu corpo ao lado do guardo enquanto ele cortava a corda e meu corpo caia sobre os pés. Não me tornei anjo nem fui para o paraíso, continuo preso nessa floresta repetindo tudo oque relatei aqui ano apos ano ate sabe Deus quando. Esse é meu castigo essa é minha verdade.

terça-feira, 18 de março de 2014

Memórias de José Maria De Alencar Campos

                                                           4
                                                   Caminhada

Caminhei caminhei caminhei, como tantos antes de min fizeram, do mesmo jeito que meus pais fizeram, de barriga fazia e esperança cheia, caminho de pés descalços com os olhos amargos, caminho porque ´só oque tenho a fazer.
Vejo sorrisos, ternos, namorados, restaurantes, multidão, vejo que ando sozinho que não pago imposto nem voto em ladrão, quem é mais livre que eu? que sem um tostão no bolso posso ir a qualquer lugar a hora que quiser sem justificar minha saída ou manobrar um geringonça  mal feita.
Quem sou eu nesse mundo largado de lado? quem sou eu?

sábado, 8 de março de 2014

Memórias de José Maria De Alencar Campos

                                                                2
                                                       .Nascimento.

Nasci, José Maria De Alencar Campos, fraco, magrelo, olhos muito grandes, barriga vazia.
Meu pai era seu Antônio e minha mãe dona Maria, tios não tive, parentes não conheci. Quando menino, sonhava debrasado sobre a janela de barro do nosso casebre, foi seu Antônio que fez.
Brinquedos nunca conheci, comessei meu trabalho aos oito anos de idade, não sei oque significa infância. Fiquei dois anos na escola pois minha família precisava de pão não de educação, a roça foi meu diploma.
Com doze anos conheci o álcool, ele tornava meus dias mais suportáveis, em casa não tínhamos muito ou melhor nada, algumas camas de palha um velho fogão de barro uma mesa e algumas poucas cadeiras.
A água era  barrenta, o ar era seco, a vida era magra. em meu aniversário de treze anos ganhei uma bola surrada de couro, felicidade, quase pude sorrir nesse dia.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Memórias de José Maria De Alencar Campos


                                                           1

Zé Maria carregava o peso do mundo em seus ombros, absolvido dos crimes que a muito tempo havia cometido, agora caminhava lenta e agonizantemente, sobre o cascalho recém molhado espalhou seus pertences,não tinha muitas coisas penas roupas velhas e cadernos manchados, se sentou perto de um arbusto, recostando a cabeça na velha mochila militar, observou as estrelas por um momento, logo após adormeceu.
Ao amanhecer sem ter para onde ir nem oque comer, retomou sua caminhada solitária em direção ao sul.
Não arrumava carona fácil, sua aparência causava arrepios nas demais pessoas mas Zé Maria sabia oque era e quem deveria procurar.
Chegando em um velho posto de gasolina sentou e pediu um café,
tirou do bolso alguns trocados uma caneta e uns papeis amasados, ali no meio do nada começou a anotar suas memórias......

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Perdido.

Essas noites em que tudo está perdido, você acorda no outro dia, feliz, por 30 segundos, até se lembrar, que tudo está perdido.
 Você segue seu caminho, refaz seus planos, outra vez se anima, e de
repente mais uma vez, tudo está perdido.
  Você acorda, suas costas doem, seu café esfria, sua mulher, cada dia mais feia, você tem chulé, ri por uns instante, se anima, e outra vez se lembra,
QUE TUDO ESTÁ PERDIDO.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Pensamentos de uma mente a beira da loucura

Eu me banho em sua assas quebradas
as gotas de suas doces lagrimas
aliança prematura, ossos, amor
são coisas que não amamos
Armadilhas em cada esquina
você sabe que será o próximo
Cada curva, buraco e posta pela estrada
gritos do garçom
A menina dos olhos verde oliva
o mendigo caminha, a cidade já não é grande
o bastante para toda sua dor
Ela era pobre em sua escencia
a serpente sempre em busca da alma vingada.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Alarico aleijado

Amado americano aleijado, Alarico amaldiçoado
apodrece ameixa amarela, atolado até as amígdalas
amigo aloca azuleio azul, amacia amistoso assado
assassino acidulante ateu, anestesia amarga amizade
atenciosamente antecede acidente, amorna armadura áurea
armas artificiais, artigos aterrorizantes, artrite, alamedas atingidas
arte, amor, amizade, argumento, Anelina alaranjada, americano aleijado.

Virilidade

No ventre dela descança minha semente,
retirada do pior lugar de um homem
devíamos nos chamar de vacas pois,
da mesma forma nos é tirado o leite.
Ela que nem mesmo sei como chamar
uma flor, comida e pisoteada por lobos
semente deitada, margarida, gira-sol
inverno, congela semente, empalidece rosto
nem mesmo um nome, nem mesmo a lembrança,
apenas a semente, fertilidade que espero não ter,
semente que plantei sem-querer.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Restos

Cortinas, casas, camas, gatos, ratos, sapatos
um homem que não abre o guarda-chuva,
uma velha que não se lembra do seu nome.
Palavras, canetas, mesa de bar, ``amigos´´
um mercado que não abre, uma estante.
Uma porta rabiscada, uma solidão imune.
Copos, cachaça, piano e brigas,
tudo oque tinha e não tem
fazer, negar, amarelar  e vencer
tudo oque imagina ser e não é.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Pensamentos de uma mente a beira da loucura

Anoite é longa diz o guarda do cemitério aos meninos que fumam maconha.
O dia é quente diz o operário de alguma fabrica por ai.
Qualquer coisa eu sei fazer diz o desempregado em uma viela.
Quero estudar diz o funcionário.
Quero trabalhar diz o estudante.
Quero amar diz o solitário.
Quero viver pensa o casado.
Quero morrer penso eu.
Queria ter mais um chance diz o doente terminal.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Poesia em Dó menor

Feche minha boca com um beijo, vindo de sua outra vida
aperte e rasgue meu coração, use uma lamina quente
vou tatuar o teu silencio, enquanto roubo sua alma
serei uma serpente dentro de um jarro, serei uma aguia
toque sua doce flauta, enquanto mostro minhas pressas
injetarei meu amargo veneno, debaixo de sua língua ingenua
a sabedoria infinita que todo homen de negócios pensa ter
é a mesmo ingenuidade de se imaginar ser livre
vou devorar teu coração, em seus olhos as lagrimas
trituram
eu vou te deixar dormir, eu quero ter um sonho de criança
vou camuflar meus desejos em seus belos cabelos de anjo
feche meus olhos com um grito, me leve pra longe do perigo.

Pensamentos de uma mente a beira da loucura

Mais um dia que julga perdido de minha vida, fazem menos de 5 dias que recebi meu pagamento e já não possua mais um centavo, as coisas vão de mal a pior, o calor é insuportavel
, ando sem inspiração, problemas em casa, essa vida realmente está começando a me cansar.
Como pode, vejo meus colegas de trabalho que chegam as 7:20 da manhã cantando uma bela canção dos Beatles, tudo que consigo imaginar a essa hora é um tango argentino ou uma marcha fúnebre, há como esses dias estão me matando.
Se 2013 foi o ano que quase me matou, comesso a acreditar que 2014 vai conseguir chegar lá.
Pareço um pouco reclamão, pois é isso mesmo, carrego o mundo em minhas costas, sinto a dor das outras pessoas me coloco em seu lugar, posso estar errado, garanto que estou, mas é assim que sou e pelo jeito sempre serei.
Não corto a barba a alguns meses já, um mendigo é mais elegante que eu nesse momento, e não estou exagerando, oque nos distingui é que devo ser mais vagabundo que ele.

Uma ode ao falecimento

Aos mortos eu dedico meu sangue amargo e doente
peço que se juntem a mim em uma dança astral
aos vivos desejo a morte pois um dia apodrecerão
carne, ossos e cabelos abaixo da terra, madeira e descanso
aos mortos que agora aqui estão peço que não saiam
me levem pelos braços pelo caminho escada abaixo, calor
aos vivos desejo que fiquem ricos, mas morram pobres
pois assim morrerão em paz assim poderão ser dignos
aos mortos eu dedico meu sangue vermelho e pulsante
com os mortos dançaremos essa noite somos restos
de humanos, somos carne de boi, somos caça dos anjos
somos tripas e coração somos humildes e arrogantes
aos mortos eu dedico sua vida e a minha que levem
escada abaixo, calor.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

O bebe que vendeu os amigos.

O Bebe Pietro achava que tudo oque ele falava e fazia era o certo
também achava que sem tinha razão, certo dia falou:
- Se vocês não fizerem oque eu quero não seremos mais amigos.
Bebe Pietro achava que sabia de tudo, mas na verdade não passava
apenas de um Bebe chorão que a mamãe não trocou a fralda e esta sentado sobre a Propriá merda a dias.
Pensava ser o dono da verdade, se as pessoas fossem contrarias a seus pensamentos ou mandados geralmente não falava mais com elas, era um bebezinho atolado em papinha, caca de nariz, e merda molenga.
Fiz um poeminha para ele dormir.


Ora bebe Pietro mude esse teu jeito
assim vai acabar sonolento
Ora bebe Pietro escute as pessoas
assim não vai acabar sonolento
Vamos bebe Pietro você já é adulto agora
assim vai acabar solitário outra vez
Corre bebe Pietro a vida te chama
assim nunca vai acabar sonolento.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Ótimo dia

Hoje o dia foi uma porcaria como já previsto ontem a noite, mandei meu chefe a merda e me senti muito bem com isso, é possível que amanha não tenha mais oque fazer, voltei aos treinos de Boxe to todo quebrado, é bom saber que ainda sou bem vindo em algum lugar que não seja minha casa.
Ele é um cara que só pensa em ganhar dinheiro, e hoje me mandou fazer uma coisa que não faz parte dos meu deveres na fabrica, como de costume respondi que iria fazer aquilo, logo obtive a resposta que sou um vagabundo que fico  me fazendo para não trabalhar, se eu sou um vagabundo com todas as merdas que faço la, imagina ele que fica o dia todo em sua salinha, seu pequeno mundo de faz de conta, se sentindo o máximo, não levanta a mão para cosar o saco e o vagabundo sou eu?
Acha que tudo na vida se resume a trabalhar trabalhar e trabalhar ou melhor mandar os outros fazer aquilo que ele próprio não tem força ou capacidade de fazer, e ainda assim maltrata as pessoas que fazem.
Não quero falar com ele, ouvir sua voz ou sentir se mal cheiro, quero distancia de pessoas assim, só atrasam nossas vidas, são pálidos e nojentos acham que sabem de tudo o tempo todo, odeiam ser contrariados se acham os donos da  verdade, fique longe enquanto pode.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Frase do dia

A vida é tão cheia de incertezas, que quando pensamos estar certos, certamente estamos errados.
``                                                    
McGangüer´´

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O homem é incapaz de amar

O homem é incapaz de amar incondicionalmente, esse dom é exclusivo das mães.
Não me entendam errado apenas não suporto mais o jeito como ela me olha, o jeito como ela serve minha bebida ou como acendia meus cigarros, ela não de toda ruim sabia como agradar um homem, talvez por isso tivesse mais de vinte, ou poderia ser por minha causa, nem ela realmente sabia.
Foi embora deixando marcas em meus tapetes de cinco reais, me deixando sentado a beira de uma pilha de roupas por lavar, com o maior sorriso que em minha rubra face podia carregar, assim ela se foi o ultimo adeus a melhor loira depois de uma cerveja.
Resolvi encontrar uma ruiva dizem que elas são as melhores, mas não tenho a minima ideia de por onde começar, bom vou tentar pelo centro da cidade.
Encostado em meu velho gol 1997, sujo como fralda de velho com incontinência, la estava eu, ela passou sem me olhar, mas que maravilha era aquilo, de onde tamanha beleza havia saído, por deus estava em choque.
Resolvi uma abordagem direta, em questão de uma hora estávamos em meu apartamento subindo as paredes, hó como ela era um doce, cabelos e pelos ``Publicos´´ vermelhos como meus olhos de ressaca em uma segunda feira de feriado, voz suave, peitos perfeitos cabiam em minhas mãos, roupa ela já não possuía eu havia arrancado com tamanha virilidade que a rasguei toda, joguei vinho sobre seu corpo sardando e nu, enquanto beijava sua barriga elétrica, sim você sabe como é.
Bebi todo aquele vinho de seu corpo, e nos unimos em um único ser, um ser brilhante, enérgico, nos transformamos em anjos, anjos de luz, eramos crianças, eramos selvagens, estávamos nos amando.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Pensamentos de uma mente a beira da loucura

Nao importa como voce escreve, se faz do modo correto ou não, se usa palavras bonitas, se faz algumas rimas não importa.
Se a grafia estiver errada melhor se nada fizer sentido é porque veio de algum coração solitario, apenas pessoas solitarias escrevem palavras legiveis, nao gosto de textos cheios de firulas e que dao longas voltas antes de abordarem um assunto totalmente insignificante.
Não escrevo certo, uso corrretor ortografico pois nao gostava de estudar portugues na escola, ai vem a grande pergunta porque escrever com correta grafia ou gramatica se do jeito que vc escreve as pessoas entendem do mesmo jeito?

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Anjos em meio ao bombardeio. Parte Um.

Desembarcamos na praia perto das seis horas da manhã, a luz do sol comessava a banhar os coqueiros, o silencio era inacreditável, não pude acreditar que ali havia uma guerra acontecendo.
Nos abrigamos acima da areia grossa perto das arvores, sargento Ully nos diz que daqui para a frente, é território inimigo, como se nimguem tivesse pensado isso, Brass como fui apelidado no treinamento, não sei da onde diabos tiraram aquele terrível apelido.
Ully nos manda avançar,
vou na frente - sinalizo para meus companheiros
OK.
Tudo estava tão quieto, minha arma era gelada, eu estava ensopado, trec ouso um estalo, logo faço sinal para meus companheiros pararem,  Ully vem logo a meu encontro
- Oque escutou Brass - disse Ully.
- Um estalo mas pode não ser nada.
- Quieto quieto - respondeu.
outro estalo, um engatilhar, pro chão gritou Ully, tarde demais, quando todos estavam deitados Sanderson tombou ao chão partido ao meio, não pude acreditar no que meus olhos viam, atingido por uma rajada de .50, pouco resta para contar historia, meu amigo de alojamento agora era apenas uma possa de sangue e tripas, era dois Sandersons.
Depois da tempestade vem a calmaria, então abrimos fogo, atiramos a esmo pois nada víamos a não ser a densa mata, avançamos mais um pouco sobre pesado bombardeio, oque constava em correr e se atirar no chão, achei uma pequena Foxhole me abriguei, cerca de dois minutos depois, Cris chegara em minha foxhole.
- Você viu como ficou Sanderson?
- Infelizmente vi sim Cris mas ainda não acredito, tudo foi tão rápido insano.
- Tenho pavor de pensar que podemos ser os próximos Brass
- E se uma maldita bomba cair em nossa foxhole amigo? oque sobrar de nossos corpos de merda? com mil diabos Brass como pode ficar tão calmo assim?
Realmente nem eu sabia como estava tão calmo, acho que visão de meu amigo partido ao meio, com as tripas ainda cheias de ração militar, deve ter me feito algo, então comecei a pensar em tudo que poderia acontecer......

Continua...........................

Sociedade.

Se a sociedade não me aceita do jeito que sou,
então porque devo aceita-la do jeito que ela é?

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Pensamentos de uma mente a beira da loucura

Você não pode passar a noite aqui - ela me diz
como não já estive dentro de você - resmungo
meu marido é militar dois metros e com péssimo humor- - retruca ela
eu também sou muito valente, respondi enquanto saltava da janela do quarto andar....

Fumando um Bob

Mergulhamos aos beijos naquela água fria e aconchegante,
enquanto Marley tocava na vitrola da nossa alma,
inalei a fumaça de sua boca, em um beijo chupado do infinito,
enquanto eu apertava, você me dizia como seria nossa vida,
eu ria com seu jeito de menina, hó minha mulher Iemanjá
como era bom nosso tempo de criança, eu te amava e você não sabia,
eu chorava escondido de saudade de você, do seu cheiro e sabor,
agora andava com suas mãos coladas nas minhas, eu era seu,
inalei mais fumaça e passei de minha boca para a sua,
rimos ao por do sol no trapiche, que rebolava com a morte do sol!

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Peter e Jeni Parte Final

Cachoeiras caiam dos olhos azuis de Jeni o coração quase sairá pela boca, mas avia chegado a hora, a hora que mais temia em 5 anos. Levantou-se da cadeira pegou a mão de Peter olhando no fundo dos seus olhos, ela quase podia tocar sua alma começou seu maldito ato de confessar.
Sim Peter matei nosso filho! Exclamou Jeni.
Ele estava prestes a nascer meu querido, mas assim tive que fazer foi melhor para todos, ouvisse um estrondo como de uma bomba a chocar-se com o chão, sentiu esse cheiro Peter, esse maldito e doce cheiro disse Jeni, foi desse cheiro que quis poupar nosso filho, Peter acabava de dar um soco na cara de Jeni e sangue escoria pelo canto esquerdo de sua boca, meu filho não haverá de sofrer de teus abusos seu monstro, gritou Jeni saindo da cozinha e correndo ate o andar de cima.
Peter ficou parado durante alguns segundos, olhar fixo em seus pés, não sabia mais oque fazer, aquilo tinha peso demais para seu corpo suportar, uma mulher a beira da morte, um filho agora assassinado, violência domestica, álcool, drogas, como o mundo fora ruim para min, pensou.
No andar de cima Jeni havia enchido a banheira e se preparava para um belo banho de esponja, estava nua não tinha mais de 40 quilos estava morrendo. A água estava quente o bastante entro de uma só vez na banheira como num pulo,  mergulhou.
Voltando depois de uns segundos secou os dedos e acendeu um cigarro, fumando pensava onde tinha errado, como escolhia mal os homens,como havia chegado em tamanha degradação assim passou algumas horas ate que anoiteceu.
Peter agora estava no celeiro, a corda já estava pronta, o banco também, sua vida acabara, sua amada o tinha traído, era uma assassina , Peter não derramou nenhuma lagrima apenas puxou o banco........
Balançando de um lado para outro, pouco acima do chão do celeiro, um corpo pendurado, o cheiro doce que sua amada falava estava em sua camisa, mas parecia um cheiro agradável, não disse adeus, nem escreveu um bilhete, apenas virou as costas e deixou sua amanda balançando ao vento.

Pensamentos de uma mente a beira da loucura

               
Todo dia sentado a beira de minha cama, são quinze para as sete da manha me vejo tremer de agonia em pensar que o dia anterior mal acabou e outro já esta por vir, é como se eles se ligassem em uma unidade maldita que faz ate meu ultimo músculo imaginário tremer.
Sete e dez hora de partir, enquanto esquento um pouco o motor do carro, minha cabeça se encosta no volante e um desespero bate em meu corpo, como um coice de uma mula encurralada. Penso em tudo que gostaria de estar fazendo, escrevendo, dormindo, transando etc.
No caminho para o trabalho imagino como seria minha vida sem emprego, as vezes acho que o emprego não só serve para ganharmos dinheiro, mas também para o tempo passar um pouco mais devagar, você já notou como o tempo passa rápido quando fazemos aquilo que gostamos?
Pois bem estou a fazer minha tediosas obrigações enquanto entro em um mundo paralelo em minha cabeça, acho que isso me ajuda a não enlouquecer.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Peter e Jeni. Parte Um.

Jeni cambaleava pela rua cuja calçada estava coberta das folhas de carvalho, derrotadas pela primavera, tentava em vão achar sua casa.
Em sua mão uma garrafa vazia, na outra um cigarro pela metade, Jeni estava perdida, sim ela sabia, agora mais que nunca, que seu fim estava próximo.
Jeni, Jeni, abrindo os olhos, vermelhos como lava morma no seio de seu amante, Peter acordava sua antes bela Jeni. Ola meu amor diz Jeni com voz e halito alcoólico, Peter a chama para um café da manha, logo descerei Peter me de alguns minutos. Enquanto Jeni procurava desesperadamente por mais uma dose de heroína perdida em seus bolsos, Peter esquentava a agua enquanto ovos com bacon gritavam em óleo quente, Jeni havia chegado a cozinha.
Jeni sentou-se a beira da velha mesa de carvalho, enquanto Peter sem trocar almenos uma palavra terminava o café da manha, olhando em seus olhos Peter exclamou: Jeni não pode mais levar essa vida meu amor, olhe para você onde esta toda a vida que existia em seus olhos? Onde esta a bela mulher que me apaixonei? Jeni comia seu bacon com a cabeça entre as pernas, muito lentamente ainda sob o efeito da heroína perguntou: Peter você já sentiu a dor trago comigo em meu ventre apodrecido? Alguma vez já imaginou como é ter que cortar a pele de um ente querido? Pelo menos tente imaginar a dor de uma mãe que teve em seus dias de mais alegria sacrificar seu filho? Peter tremia como se um terremoto lhe cortasse o chão,
Jeni me diga oque fez a nosso filho? Como assim sacrificar? Pensei que havia nascido morto? Jeni oque você fez a nosso filho? ........ Continua

Leitura da semana.

O ultimo suspiro do velho sem vergonha, sua ultima obra.

Lagrimas que rolam.

Eu deveria apenas virar as costas e te deixar falando
você ia ver minhas costas indo para outro lugar
me afastando lentamente enquanto suas lagrimas rolavam
queria ir morar bem longe para nunca mais voltar
sumir da sua vista, dessa sociedade doente, maldita
nos veriamos no natal ou ano novo quem sabe
eu teria minha vida do jeito que acho que deve ser
beberia a todo hora e quem sabe ate amaria novamente
eu deveria apenas virar as costas e te deixar chorando.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Wings.

Você assassinou seus políticos e suas dividas,
e agora sua vida toma conta dos seus dias,
algumas noite você acorda sem motivo,
é uma boa ideia criar assas e voar por ai,
eu chuto as portas e entro por ai assim,
imagino oque nos poderíamos ter feito,
no  trabalho todos odeiam você outra vez,
é uma boa ideia roubar assas e voar por ai,
você matou o presidente e sua família,
você mudou seus dias e noite,
já não tem a mesma luz nos olhos,
é uma boa ideá cortar assas e voar por ai.

Acho que já li isso em algum lugar.

As pessoas são idiotas, escuto meus vizinhos o tempo todo falando de coisas idiotas com pessoas mais idiotas que elas,normalmente sempre querem parecer algo que não são, querem que o outro idiota seja inferior a elas, se vestem como idiotas, vão a lugares idiotas, tem trabalhos idiotas, eu também sou um idiota. Repare um dia que você estiver caminhando pela rua o quanto estupidas são as pessoas, fazendo coisas que não querem fazer, mas fazem apenas para imprecionar outros idiotas, as pessoas tem uma tendencia a querer se aproximar de pessoas ricas, o povo é tao idiota que pensa que uma pessoa rica é uma pessoa inteligente ou é uma pessoa culta ou intende de alguma coisa, todas as pessoas ricas que eu conheço nunca tiveram nada de interessante pra falar a não ser se gabar de suas quinquiliarias, de seus carros idiotas, de suas casas idiotas, você simplesmente consegue uma conversa muito mais interessante com um morador de rua doque com uma pessoa dessas, porque o morador de rua pensa não esta o dia todo atarefado com coisas insignificantes, ele realmente vive, pois pra se viver tem que pensar, e não apenas pensar em qual sapato usar ou em que marca de carro vai comprar.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Bruna, bebidas e um belo pedaço de seda. Parte dois (por Bruna Quintino)

Então ele permaneceu em silêncio e fico a observar .
Eu voltei a perguntar, ei moço dos cabelos liso e castanhos, da barba por fazer, do sorriso de canto, vai só olhar-me ? e ai ele tirou de sua bolsa, um caderno de desenho e um carvão fusain. E disse sente-se ali e jogue seus cabelos para o lado, sento-me sem entender muito sua intensão , então ele começa a desenhar-me no rádio aquela canção de amor barato de amores de fases toca. E eu reparo mais uma vez em seu sorriso de canto, irônica pergunto  : - Vai ficar anoite toda me desenhando? não prefere me experimentar? Sentir os traços do meu corpo? Sentir o calor da minha pele?  Então de um meio sorriso eu ganhei um sorriso completo, ele entornou uma taça de vinho do porto que lhe ofereci e disse: - você é uma bela mulher e continuou a desenhar-me.  Após alguns minutos de musica de amores que não voltam e traços em um papel com o carvão, o silêncio entre  uma mulher semi nua e um homem sedutor, acaba com o deixar do caderno e o carvão ao chão. Então ele se levanta em vem em minha direção,  retira sua camiseta branca, manchando-a com seus dedos sujo de carvão. Seu peitoral definido...humm.. me toca levemente com seus dedos. Desejos, suor, barulhos fazem o rádio silenciar!

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Bruna, bebidas e um belo pedaço de seda.

Saída de uma pocilga fétida e cheia de ratos ela entorna o ultimo gole de vinho, agora caminha em busca de alguns trocados, em troca mostra os seios. Estou parado fumando encostado a um velho poste quando vejo seus belos olhos, Ela disse: Ei você ai porque não me paga uma bebida,posso te mostrar meus meninos, respondi : podemos beber mas em relação a seus meninos prefiro eles em minha casa mais tarde, felado ela me responde sorrindo. Chegamos ao primeiro bar virando a esquina logo que entramos o lugar fervia de vida, liberdade, paixão, pedi ao dono bar umas bebidas e minha convidada quis se sentar em uma mesa mais retirada, seu nome era Bruna e vinha de longe não quis me dizer de onde, pouco me importava, realmente,estava fascinado em seus olhos.
Me contava de seus relacionamentos e de sua família, seus belos olhos agora viraram duas cachoeiras negras por conta da muita maquiagem nos silios. Pagamos a conta e partimos para seu apartamento que não ficava muito longe dali, apos uns 15 minutos ela finalmente achou as chaves, embora tenha levado mais uns 20 para abrir a porta. Ao entrar me deparo com a cena mais grotesca da minha vida, pratos estavam empilhados aos montes pela sala, cozinha, banheiro, garrafas e mais garrafas, areia de gatos a anos sem nimguem madalas, o fedor daquilo era uma mistura de tudo oque de mais fétido existe na terra, entre meu bem ela me chamou.
Tentei me acomodar por ali, oque se revelou ser uma tarefa nada fácil, de lance de olho vejo bruna, em uma veste vinda de roma,
estava tao bela quando uma pintura, a seda cobria seus lindos seios, seus mamilos rosados e endurecidos pelo frio, estava perfeita salto alto cabelos soltos, lábios vermelhos da cor da mais linda rosa, hei disse ela vai fica ai babando ou vai vir pegar tua mulher.............  continuaA

Pensamentos....

A noite se revelou uma dama inconstante assim como as bebidas e o câncer. Essa doença que leva tudo e todos mais rápido que um noite no bordel. Andamos de mãos dadas e nos beijamos acosionalmelnte. Já é sexta feira estou afastado do trabalho e os remédios estão acabando comigo, hoje acho que vou tomar um porre e esquecer de tudo oque me rodeia e de meu futuro incerto...... Ate me sinto melhor apos um bom banho e um pouco de comida, volto a me deitar e imaginar quanto tempo mais........ Amigos realmente se mostraram inimigos enquanto algumas pessoas do outro lado do pais estão do meu lado nesse momento.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Charles Bukowski Tapes - Número #1

video
Hoje quero compartilhar com vocês esse video o primeiro de muitos sobre nosso grande bom e velho Bukowski espero que curtão! Todo dia irei postar as Charles Bukowski Tapes aqui! Um abraço e boa noite do seu velho amigo McGangüer.

Relatividade do tempo momento.

O tempo passa o tempo voa, seus sonhos acabam, seu sono também.
O tempo corre o tempo flutua, seus cabelos caem, seus dentes também.
O tempo te odeia o tempo te mata, seu corpo amolece, seus olhos também.
O tempo te bate o tempo te beija, mancha tua pele, sujas tuas calças.
O tempo é maldito, o tempo te fode, o tempo odeia tua cara e chuta tua bunda, o tempo vai te matar, bela seja a cara de Deus, PORQUE O TEMPO VAI TE LEVAR!

Época de escola.

Na minha época de escola existiam dois grupos o que eu fazia parte dos perdedores e o grupo dos babacas populares.
Sempre preferi ficar com pessoas que fumavam e bebiam, elas parecem pessoas de verdade, nunca gostei de estudar as escolas não ensinam oque realmente precisa ser ensinado, nunca tive uma aula de musica na escola, deveria ser obrigatório, filosofia sim tive mas a professora só sabia oque tinha lido em um metade de uma revista de posto de gasolina, quando comecei a ter aulas de literatura com um verdadeiro professor, abandonei a escola. O grupo dos babacas praticavam esportes, e beijava as garotas, agente fumava uns cigarros e ouvia rock and roll, eles estudavam para as provas e faziam simulados, agente pulava portões e colava cadeados, realmente agente se divertia.
Hoje quase todos cursam uma faculdade ou algo assim, eu continuo do mesmo jeito, só não fumo mais, mas minha alma de ir contra tudo que a sociedade te impõe  e oque a sociedade esta fazendo continua viva em min.
Metade de meus amigos do época estão mortos hoje, ou já não são meus amigos....

Doente

Nunca havia sentido uma dor tao angustiante como esta,
começa em baixo de minhas costelas sobe ate meu ombro
e vai parar em meus pulmões. Os médicos dizem que é só uma dor muscular mas começo a pensar em algo pior, pois com remédios e coisas assim nada de melhora. Comecei a tomar um remédio para ansiedade,
é um remédio fabuloso me deixa calmo, pensante, em paz embora turve minha vizão vez ou outra. O dia era lindo um pouco nublado tinha vontade de beber. Todos seguiam suas vidas eu estava deitado ao escrever essas palavras realmente queria estar em outro lugar,a natureza realmente seria uma boa ideia.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Uma pequena homenagem ao Chris McCandless

Enquanto a chuva caia sobre as margens do grande rio ele estava sentado sobre uma pedra,ali hipnotizado pela grandeza da natureza,estava feliz não tinha dinheiro não tinha cigarros apenas alguns livros e um punhado de arroz. Partiu de sua casa em busca da grande aventura de sua vida, logo o gelo lhe cobria os pés e as margens do rio ficavam esbranquiçadas
Retornou ao seu saco de dormir,acendeu a lareira improvisada e se botou a ler enquanto o arroz cozinhava.
Nesses tantos anos já tinha mudado de nome tantas vezes que mal podia se lembrar de sua identidade,e isso era maravilhoso porque agora a liberdade era completa,o arroz cozinhou ele comeu,pensativo a beira do saco de dormir seu cinto já não tinha onde fazer novos buracos era a sombra do jovem bonito que anos atrás abandonou tudo oque é sagrado para você que lé isso hoje,estava feliz. Amanheceu os pássaros cantavam e o gelo começara a derreter, o pequeno riacho que cruzava logo abaixo de seu acampamento avia descongelado,agora estava ali sem ter pra onde ir e sem comida,desespero,inanição,morte, era tudo oque podia pensar. Saiu a procura de alimentos deixando um bilhete na porta......

"S.O.S. Preciso de ajuda. Estou aleijado, quase morto e fraco demais para sair daqui. Estou totalmente só, não estou brincando. Pelo amor de Deus, por favor, tentem me salvar. Estou lá fora apanhando frutas nas proximidades e devo voltar esta noite. Obrigado, Chris McCandless."


Uma pequena homenagem ao Chris McCandless
ou melhor Alexander Supertramp.
                                                R.I.P
                            -12 de fevereiro de 1968
                           -18 de agosto de 1992

A felicidade só é completa quando compartilhada
                   Alexander Supertramp

                          
                   



Apenas um desabafo

E se você ficasse cara a cara com Deus hoje? E ele te pergunta-se
``você levou uma vida confortável meu Filho? Teve dinheiro e tudo oque sempre sonhou? Ou levou uma vida feliz?´´
Qual seria sua resposta?

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Desperdicio

Pequeno homem que segura notas em suas mãos
que não tem nada em seu coração
quando empresario que não tem vida alguma
pequeno mundo dominado pelo que há de pior
vá pequeno homem vá ver teus filhos maldito
pegue sua empresa e venda tua casa o mundo esta no fim
pequeno homem não sente mais o gosto de sua mulher
dorme de costas um para o outro sem respeito algum
pequeno homem deixe tudo para la e siga nosso caminho
esqueça ternos e Ferrari,esqueça luxo e perdão
pequeno homem um dia ainda será livre mas a julgar
pelo seu maldito estilo de vida só sera livre mesmo quando
MORRER.

Diga a seu coração que vou me tornar livre....

Hoje me sinto mais deslocado da sociedade doque nunca,
serei eu tao covarde há me esconder o resto da vida nessa cidade podre moribunda? Toda uma agitação ai pelo mundo e eu oque sou capaz de fazer? Nem amigos eu faço.....Só penso em sair pelo mundo viajar pedir esmola tocar pelas ruas conhecer pessoas culturas lugares me libertar de tudo oque me atrasa a vida..... me realocar pelo mundo afora ser um selvagem ou viver com os índios realmente ainda não sei.... mas posso dizer que seria muito mais feliz doque sou agora.....

Andarilho de couro.

De alpargatas nos pés me pus em frente ao fogo
sentado a beira de um manso regato me esquentava
De alpargatas nos pés ouvi o som da natureza chamar
assim me absolvi de tudo oque era mundano inútil a min
De alpargatas nos pés arrumei minhas malas assim parti
ao amanhecer minha amada vou encontrar quisá aonde
De alpargatas nos pés chorei no epitáfio dos meus dias
me levante e continuei minha jornada mundo afora
porque minha amada me espera com a cuia na mão
e de alpargatas nos pés.

Como saberei se a morte esta próxima?

Como saberei se a morte esta próxima? Hoje o caminho de volta do trabalho nunca havia sido tao longo e maravilhoso, fiquei hipnotizado olhando a natureza em redor dessa cidade morta.Será que teremos mais um dia? tem dias que espero a morte bater em minha porta mas ela sempre erra meu endereço.Queria poder saber como vai ser,dormindo,acidente,assassinato,natural isso me fascina é tao exitante quem sabe não será amanha? Será que alguem realmente sentira minha falta? Não desejo me passar por bonzinho quando morrer,como quando um estupido,e a pior pessoa do mundo morre,HOOOOO nossa ele era uma menino bom era um homem bom,MENTIRA,não entendo como podem fingir se preocupar com isso,eu não sou um cara bom, não sou santo e provavelmente vá para o inferno,mesmo não acreditando nessa bobagem que nos é imposta quando nascemos.Tem sido complicado me olhar no espelho e ver que não passo de um vagabundo,não tenho mais vontade de trabalhar,de tocar,só penso em escrever o dia todo como se essas palavras pudessem arrancar tudo oque me causa esses sentimentos, devo ter demônios ao meu redor ou dentro de min,as vezes acho que vou explodir,vejo tantas pessoas fingindo gostar umas das outras, imitando um falso ideal dos anos 50, vejo sorris falsos o tempo todo, me pego sorrindo falsamente.Pois bem hoje quando escrevo essas palavras fico me perguntando se um dia alguem saberá quem eu fui,oque fiz,ou oque sonhei.....

sábado, 11 de janeiro de 2014

Noite e meia de sabádo a noite.

Hoje sairemos para mais uma nova aventura,bebidas, mulheres, jogos de poder,todos sabemos como vai acabar mas ninguém quer realmente pensar nisso.
Vai ter musica e dança,vai ter carros e idiotas,tudo oque quero um corpo quente e uma bebida gelada hoje pode ser o meu dia,quem sabe né  vamos viver um pouco.Estou aqui a dias escrevendo barbaridades sem sentido,comecei um ótimo livro hoje parece que a leitura vai fluir.Na TV esta passando uma banda nova parece divertida mas o vocalista me lembra um amigo ai já penso que não deve ser tudo aquilo que imagino(risos).
Agora preciso colocar uma roupa e quem sabe um perfume não sei se vou transar hoje ou não apenas posso imaginar,e você oque ira fazer hoje?terá uma noite tao empolgante como a minha?ficara de ressaca amanha como eu?

Dica de leitura para o final de semana.



Atualmente,tal é o progresso,os velhos trabalham,os velhos copulam,os velhos não tem um instante,um momento de ócio para furtar ao prazer,nem um minuto para se sentarem a pensar; ou se,alguma vez,por um acaso infeliz,um abismo de tempo se abrir na substancia solida de suas distrações,sempre haverá o soma,o delicioso soma,meio grama para um descanso de meio dia,um grama para um fim de semana,dois gramas para uma excursão ao esplendido Oriente,três para uma sombria eternidade na lua;de onde,ao retornarem,se encontrarão na outra margem do abismo,em segurança na terra firme das distrações e do trabalho cotidiano,correndo de um cinema sensível a outro,de uma mulher pneumática a outra,de um campo de Golfe eletromagnético a........

                                                             Aldous Huxley

O castelo dos sonhos de 1865! Parte Dois

enquanto me arrastavam pelos corredores gélidos do velha construção me imagina em um mundo novo,pássaros,gramados,sol,flores,agora caminhava como um furacão.Todos meus amigos me dão uma boa olhada enquanto passo alguns ate choram,eu os vejo sorrir me sinto ótimo,eu poderia ter tido uma vida normal,casa, carro, mulher,trabalho mas  não, aqui estava eu um lunático,todos me falavam que eu era uma maluco,não posso acreditar nisso.
Logo em frente o corredor ficava mais estreito e gelado como nunca,uma porta que não conhecia se abriu,pude ver meus familiares,que como me falaram não eram na minha imaginação,depois de um longo tempo nos abraçando e falando sem parar,aquilo começou a me cansar e pedi para seguirmos em frente,fui colocado novamente em minha roupa branca ainda mais apertada e seguimos.
Quando cheguei avia uma cadeira muito bonita,parecia a cadeira de um rei,
comi panquecas e suco de tomate,novamente seguimos.
Entrei em uma especia de quarto com um vidro na frente e uma cadeira muito esquisita com fios e amarras não intendi,me prenderam a ela e as curtinas se abriram,uma agua gelada e fétida escoria do topo da minha cabeça ate meu peito,então um capacete foi posto em minha cabeça e um pano negro sobre min,já não podia ver a enfermeira nem sentir o gosto dos biscoitos,não sabia porque minha família estava atrás daquele lindo vidro,tudo oque pude pensar foi em meu amigos e visinhos de quarto,onde estariam agora oque estariam fazendo,viriam para cá também?
Estamos prontos falou uma pessoa a minha esquerda,senti um forte puxão em meu corpo enquanto meus olhos explodiram,quando me dei conta estava abraçando pessoas que a muito tempo não via,que jamais imaginei encontrar novamente,em um instante estava morto,estava em paz,estava cuidando dos que amava enquanto era vivo,tinha me tornado um anjo.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Pecados de um milhão de cruzados.


O rei se firmou em sua cadeira relaxou os joelhos
balançando a cabeça ergueu as mãos acima da coroa
suas jóias ofuscavam os olhos dos rudes plebeus
o bispo ao seu lado sua rainha do outro tudo estava no lugar,
jogaram-se os dados a cabeça do cruzado estava em jogo.
O cruzado de joelhos os dados param! Silencio sem olhar pensando em ainda viver o cruzado é posto em pé o rei se aproxima e em sua infinita tolice lhe diz:filho eu sei tudo que se passa em sua cabeça,sei por onde andou e oque fez,imagino como deve ser duro conviver com a dor a culpa,mas não tenho escolha voçê ira morrer.
Arrastado para fora do castelo agora o cruzado chora,sua família todo diante da guilhotina,esposa filhos,pais,avós todos estão ali.
Seu ultimo pedido foi concedido,ele gostaria de falar algumas palavras:
hoje aqui morrei de cabeça erguida,pois sim errei matei e agora morrei,mas matei para que nosso povo pudesse viver e hoje vou morrer diante de vocês,voltaram para suas casas,suas vidas e tudo estará perdoado? Pois bem arranquem minha cabeça e dêem aos porcos, pois ele não julgaram meus pecados que são os mesmos de vocês, apenas se alimentem de minha alma,e sintam todo meu ódio ao encostar a cabeça no seu belo travesseiro a noite.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Pedaços de um caderno manchado de vinho (Charles Bukowsky)



Acabei de ler essa belezinha e recomendo pois o velho Buk sabia como viver ooo sabia mesmo...
Recomendo pois é um emaranhado de historias todas geniais de um maniaco que vivia a beira da sociedade
onde todos nos já estivemos vez ou outra.Para finalizar quero citar a parte que mais me identifiquei desse belo trabalho do nosso eterno ``velho,maluco,bêbado,apostador e genial Buk´´.

``..mesmo hoje depois de quase 2.000 anos de cultura semicristã as ruas estão cheias de bêbados e pobres gente faminta,e assassinos e a polícia e o aleijado solitário, e o recém-nascido que é lançado bem no centro da merda que resta - a Sociedade.
Não sei se o mundo um dia poderá ser salvo; seria preciso uma reviravolta tremenda e quase impossível. Mas se não podemos salvar o mundo,que ao menos possamos saber o que ele é, e qual é nosso lugar nele´´
                                                 
                                                   Charles Bukowsky.

O castelo dos sonhos de 1865! Parte Um


Era oque um dia foi uma bela visão da arquitetura do seculo 19
hoje serve de moradia para min e para alguns de meus ``amigos´´.
Tenho um quarto bastante aconchegante chega ate ter colchões nas paredes,parece que cheguei la,não.
Meu visinho de quarto se chama Cohn e ele sempre esta afim de um jogo de cartas,Cohn é um veterano em jogos de cartas mas sua muita idade e alucinações o limitam muito.
há também o senhor Erico uns quartos a esquerda,em reabilitação pelo uso de narcóticos boa parte de sua vida,Rosa Maria a mais bela das enfermeiras adora me trazer chá com biscoitos a tardinha,há como eu adoro biscoitos.Tenho visto meus parentes seus rostos me olham feio como seu tivesse quebrado uma vidraça,eles estão sempre la sempre me julgando seus rostos nunca se vão.
Estão por toda parte nos colchoes,nas escadarias,na maquina de choque,nas lampadas menos em meu coração.
Recentemente uma nova visinha se mudou para nosso pequeno bairro dona Carmélia era uma doce e jovem senhora na casa dos 60 anos sempre bem penteada perfumada adorava um bom vinho e livros ao entardecer,todo dia de visitas dona Carmélia se recostava na cadeira de balanço e olhava para o velho portão,assim passava horas a espera de sua filha,que nunca veio lhe visitar nem mesmo flores a mandava, apenas algumas fotos e um pedido de empréstimo no banco local.
Bem aqui estou eu sentado sobre minha bunda,hoje ganhei uma nova roupa ela é branca e mantem meus braços apertados,amanha sera o dia em que tudo sera como eu sempre sonhei.........Continua

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A historia de todos nós!

As montanhas como nunca antes receberem uma camada expeça de neve este ano,abaixo ao sopé da montanha erguia se uma casinha soberana,era feita de matérias encontrados em qualquer floresta do mundo,mas ela tinha algo de diferente,uma magia que crescia a medida que o por do sol se aproximava.
Em seus aposentos o velho se levanta ao raiar do sol,lança um beijo de despedida em sua amada senhora se recosta em uma cadeira esperando a agua borbulhar,assim que tudo estiver pronto sua senhora o acompanhara para o café da manha.
A senhora era uma mistura de raças que nem mesmo o mais belo anjo poderia descifrar,tinha cabelos  muito longos e grisalhos uma risada inconfundível,era sorridente,uma amante enlouquecida pelo seu senhor.
O senhor sai em busca de uma pista que esconde a muito marcada a ferro em sua pele ambos sabiam que estavam amaldiçoados,tinham pouco tempo.
Quando estavam juntos o tempo parava,eram envoltos em uma energia jamais vista em outros tempos,dançavam nus em plena neve sem que isso os afetasse estavam apaixonados.
Quanto tempo ainda nos resta? Pergunto o senhor, em clara e alucinada gargalhada a senhora responde que muito pouco ou quase nada, dias,semanas,ou apenas horas.
O velhos sabe que precisa partir ele fez buscas em florestas montanhas pântanos em todo o mundo agora esta no ultimo lugar que imagina, e heis que o velho encontra em sua senhora aquilo que os dois a muitos anos estavam procurando em outros lugares...A juventude.
De tanto procurarem não notaram que estando juntos,se agarrando uns aos outros jamais ficariam velhos,seus corpos hoje já não são mais de carne e osso viraram pó,mas continuam dançando de mãos dadas ainda são jovens suas almas são livres habitam a grande montanha do por do sol onde os anjos e as nuvens os envolvem em grande magia e emoção.

Apenas uma historia comun

Joana entrou em seu casebre,chutou garrafas e cigarros
acenou para seu pai faminto e com dores no peito.Logo
Joana saberia que sua vida mudara,de menina mimada
a enfermeira desalojada,seu pai já na casa dos sessenta anos
nem seu tempo o faz sorrir mais,apenas o alivio da cama.
Joana sem exitar se despedindo de sua mãe alcoólatra e prostituta barata.
Joana sabia que no fundo do seu coração que a vida por mais dura
que seja ainda lhe enche os olhos de lagrimas.

Esperando a vida passar


A morte chega lenta, calma, assoviando melodia menor
um desastre, um raio partindo uma arvore, tempestade!
é um pássaro preso no gelo,é uma batalha de gigantes
A morte nunca chega sem aviso,e nunca volta sozinha.....

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Meu Espelho.

Se um dia eu tiver um coração,
vou conecta lo a minha mente
e quem sabe poderei amar.
Se um dia tiver olhos,
vou mostra-lhes suas fotos
e quem sabe poderei chorar.
Se um dia tiver seu amor,
que sabe poderei ter uma boca
e assim aprender a sorrir!

Pensamentos.....

A floresta de pinheiros erguia-se
majestosa sobre casebres arruinados
e estradas miseráveis, escombros do que
um dia viu homens viverem, nascerem, lutarem amarem e morrerem.
Algumas almas poe ali ainda vagam,
em vagões de trens ou entre tijolos desbotados.
Ao longe uma menina colhe morangos selvagens como
o beija-flor que em seus cabelos repousa.
Me volto novamente para o mar
hó sal em meu rosto areia e gelo
grandes pinheiros do sul, em Torres faz frio sem parar,
em Capão tudo é muito lixão.....eu prefiro os pinheiros do sul!

O barco parte dois ``Final´´



Johnny adormecido sobre meu sofá,Debby nua em meus cobertores.
Há como que queria resistir mas ela era uma peça dos deuses,logo arrancou seu cobertor e ficou parada em minha frente,seus cabelos negros cobriam parte de seus seios magnificos,ooo como eu tinha sorte meu Deus.
Abri mais um garrafa de vinho e sem ezitar logo ela estava em meus braços
bebemos aquele vinho barato nos rolamos entre lençois ha semanas nao trocados mas para ela nada disso importava,era livre era linda era louca.
Assim que comesamos a esquentar nosso ``relacionamento´´ na cama eis que vejo johnny parado na porta do quarto meio sem entender nada,pulei da cama num salto frenetico quando pensei em falar algo Johnnny comesou: Debby eu amei voce mais doque amo qualquer coisa em minha vida nunca pensei que veria voce nos braços de outra pessoa muito menos de meu amigo,eu te levei para todos os cantos do mundo,te deitei em mil rosas perdi metade de minha vida em meu barco de pesca para poder te dar tudo que voce me pedia,e oque eu pedia em troca? Apenas voce, sua doce e bela compania, seu amor, seu corpo ,tua alma.
Ele se virou pegou sua roupa encharcada a vestiu e partiu para nunca mais ser visto nem por min nem por Debby nem por mais ninguem, partiu de alma e coração partidos,nos deixou naquela noite fria,nos deixou um poça de sangue,uma arma e nada mais que sua palavra quem um dia nos encontrariamos novamente para o tão esperado acerto de contas.
Desde esse dia nao consigo mais beber vinho tinto......!

Oque significa ser inteligente?




Enganar outras pesssoas,maltratar animais,bater em sua mulher,
roubar do seu irmao,trabalhar oito horas por dia,em algo que voce nao gosta,só é inteligente quem passa no vestibular?ou cursa alguma faculdade?BOBAGEM.
Sera que ser inteligente é destruir nosso planeta,acabar com nossas matas e riachos,gastar montanhas de dinheiro REPITO montanhas de dinheiro com FUTEBOL,enquanto nossas crianças e idosos MORREM MORREM em corredores de hospitais MORREM de fome de sede, MORREM de gripe em nosso atual sitema hospitalar isso é inadmissivel.
Só é inteligente quem ganha milhoes,quem gasta milhoes,enquando seus irmaos agonizan, imploram por atenção quase sempre ,por um pedaço de pão.Pois beim volto a min e suspiro por um momento.......
Se isso significa que uma pessoa é inteligente
      eu com o maior prazer quero ser o maior
            BURRO de todos os tempos!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O barco Parte Um

       

Johnny trabalhava e morava em seu barco a vapor
pescava atum e alguns carangueijos das neves,
nos seus dias de folga lavava o deck  e costuravas suas velhas redes
herança de seu avo Clark marujo de primeira linha pescador nato.
Nos dias de sorte johnny arruma algumas cervejas geladas e umas
morenas muito quentes, sabia que logo estaria preso novamente ao vapor. Debby era seu pecado morena peitos enormes, lindos olhos e umas pernas que chamam qualquer religioso ao pecado,ela veio sorrateiramente e sem mais nem menos se lançou ao mar
Johnny sem pensar se arremesou logo em seguida em questao de minutos estavao em uma luta pela vida em meio ao gelo e redes amareladas,quando finalmente os pude resgatar ambos estavam sem roupas e abraçados como se fossem um unico corpo imovel,tremulo, palido como a neve, ipotermia a vista.
Fomos para minha casa que ficava a umas quadras do porto,bebemos vinho .assamos umas batatas, grandes cobertores em volta de todos
tudo parecia otimo ate que johnny adormece e para minha surpresa,
Debby queria que eu fosse sua compania naquela noite......

Amanha Parte dois galera boa noite a todos..... Mcgänger.

Leitura da semana...

 
Publicado 4 anos após sua morte
este livro é um testamento filosofico e literario de Bukowski.
É tambem puro ,seco,cetico,maldito e maravilhosamente escrito.
Rascunhos de seus diarios e pensamentos diarios, bom chega de papo
e vamos a leitura dessa bela obra. Um abraço e boa semana a todo..
Mcgänger.

Alguns rascunhos perdidos no meio do nada

Te balança pinheiro majestoso
te arremesa contra teu irmao
derruba teus filhos sobre nós
em tuas cascas nasce calor
semen cigarras historias de noitadas
Hó pinheiro do sul nao me abandone
em teu perfume recordo amores
em tua impiedosa grandeza

desejo sempre estar a seus pés.

Ola pessoal esse é meu novo blog nele falarei sobre cotidiano vida musica arte nossos sofrimentos em comum e coisas assim em forma de poemas, prozas,contos,pensamentos bom mais ou menos isso espero que todos curtam e reflitam sobre suas vidas. Um abra do seu amigo Mcgängern

Ai segue um pouco sobre minha pessoa...

Eu sou assim quando me olho no espelho
sou torto, uma pequena porção de sangue,
me sinto comfortavel em casa ou na rua,
quase não visito meus poucos amigos,
nao gosto de pessoas ricas ou ``chiqs´´
prefiro a noite, o alcool as mulheres
nao sou nada alem disso, nem poeta.
Acredito no amor e na liberdade total
ser feliz é viver do jeito que se quer
como quer e aonde quiser no mundo
sou diferente, gosto de ser, vc nao é,
gostaria de ser mas sente medo,
sao hipocritas, querem mandar
nunca podem ser contrariadas pessoas,
seres humanos,
sangue como o seu e o meu
carne como a nossa. Cerebro? Talvez
Adicionar legenda